Namoro alguém mais velho na escola

'Mas aí quando eu via alguém sofrendo o que eu sofri, eu era o primeiro a parar'. ... Tinha um menino mais velho na escola, que me olhava'. ... já perguntavam sobre namoro, sofri bullying na ... Mas namorar no ensino médio não deve ser sua prioridade. Foque-se em coisas mais importantes como a escola, amizades e em desenvolver sua personalidade única mais do que em encontrar alguém para namorar. Se quiser namorar, converse com seus pais sobre esse assunto e peça orientações. Como Atrair um Garoto Mais Velho. Muitas meninas mais jovens podem ter dificuldade para encontrar um cara da mesma faixa etária que seja maduro e requintado o suficiente para valer a pena. Embora namorar alguém mais velho possa ser uma... Durante o programa Escola do Amor Responde de hoje a aluna Conceição, de 22 anos, entrou em contato com os professores Renato e Cristiane Cardoso para falar que está namorando um homem 30 anos mais velho. Segundo ela, a sogra não aceita o relacionamento por conta da diferença de idade e faz de tudo para atrapalhar. Postar coias na mídia social para que todos saibam o que ela está fazendo não é uma boa idéia. Isso a coloca em evidência e desperta o desejo de muitos rapazes e até mesmo homens mais velhos que são predadores sexuais, para lidar melhor com o namoro na adolescência é melhor que sua filha mantenha a própria privacidade o quanto puder. Tanto que ele conhecia outras meninas e eu, outros meninos. Mas, na escola, todos sabiam que nós estávamos ‘juntos’. Ficamos nesse rolo até outubro de 2014, quando o Ricardo me pediu em namoro. Bom dia pessoal! Estou ficando com um homem 12 anos mais velho que eu, é a primeira vez que fico com um cara mais maduro. Nos conhecemos na internet, mas como eu estou nessa fase de não conseguir acreditar em ninguém, eu sabia que só iria ser só sexo mesmo, sem envolver sentimentos. Mais na realidade ele não quer achar não. Paperjam: de novo ele tá no seu pé irmão? - perguntou olhando o mais velho o olhar como se pedisse ' tira esse verme daqui por favor', quando o mais novo entende aquele olhar ele segura o riso ao máximo. [Nome: paper jam crayon queen. Passatempo: jogar basquete. Cor favorita: rosa choque. (1) Em tese não há nenhum problema ou erro em alguém namorar uma pessoa que tenha diferença de idade para mais ou para menos. Não existe qualquer proibição bíblica a respeito dessa questão. É claro que estamos levando em conta aqui que os dois são maiores de idade, já que podem existir alguns problemas legais em um maior de idade ... Tenho 13 anos e namoro tranquilamente, estudo muito, vou bem na escola, vou bem no relacionamento, vou bem em tudo! Então meio que namoro não vai 'atrapalhar' os estudos de ninguém, se a pessoa quer ela consegue! Não é namoro nem nada que vai atrapalhar o seu futuro querida é só você se dedicar, se você se dedicar você consegue tudo ...

Eu me sinto estranho, eu sou estranho pra caralho

2020.10.20 03:53 Control-Much Eu me sinto estranho, eu sou estranho pra caralho

Geralmente eu não sou um cara de pedir auto-ajuda, sinceramente esse é meu primeiro post aqui no Reddit, (acredito que já lurkei o suficiente) a real é que eu fui abusado pela amante do meu pai bem novo. (ela tinha 24 e eu tinha 8) isso se perpétuo até meus 13 eu acho com isso a infame desgraçada além de enfiar o dedo no meu rabo conseguiu me transformar em um garoto bem introvertido e quieto, logo, um punheteiro bem novo ela conseguiu me “depravar” bem novo fazendo eu me tornar uma batata social que vivia em função de realizar os desejos pedófilos dela, na real é que eu me sinto culpado por gostar disso além dela ser amante do meu pai e morar na minha casa como se fosse filha da minha mãe (ela simplesmente agiu como santa para ser acolhida pela minha mãe, a mesma tratava ela como minha irmã) logo isso me fez desenvolver vários problemas como fobia social e problemas de insônia pós ela fazia questão de me “felar” a noite assim quando bem entendia, eu geralmente falava não e que ela não podia fazer aquilo comigo então ela tampava minha boca com a mão e continuava.
A longo prazo isso me ferrou de diversas formas tanto nos meus relacionamentos, quanto na vida social e profissional. Além deu ter ereções aleatórias, isso não parou nem depois da puberdade. Eu sou um viciado em pornografia e sexualizo coisas simplesmente não saudáveis, claramente minha mente se tornou perturbada depois daquilo, mas eu nunca desenvolvi um quandro mais sério quando eu era novo, não comparando do que eu desenvolvi uns anos para cá.
Bom, assim que eu cheguei nos 14 e arrumei minha primeira namorada é que eu tive uma epifania, a primeira é que minha vó é uma arrombada (ela simplesmente impatou a minha primeira foda porque minha mãe pos ela de babá para não deixar eu meter o boneco na menina, depois que minha vó expulsou ela da minha casa logo depois essa garota terminou comigo) a segunda é que minha vida não tinha muito sentido as pessoas me usavam para ter o que elas queriam seja prazer momentâneo, objetos, serviços ou apóio moral e logo depois me descartam como um trapo velho, isso tudo veio junto com a morte do meu tio com 42 facadas na barriga, querendo ou não meu tio além de um grande cheirador de coca, era um dos meus melhores amigos (Ele me mostrou jogos online, lan houses, amigos, e cuidava de mim verdadeiramente sem pedir nada em troca além de um dinheiro para ele comprar um saquinho da fininha as vezes) Ele simplesmente curou minha fobia social e fez eu ter a infância que eu tinha perdido por ser um escravo sexual sem amigos de uma deposito imunda que nunca se importou comigo.
Assim que ele morreu meu mundo desabou foi a primeira experiência com a morte que eu tive, logo de alguém tão próximo, isso me quebrou de diversas formas.
Com isso veio a inevitável depressão eu literalmente só existia para um propósito merda, eu comecei a fumar cigarro para passar a ansiedade bem novo com 15 eu já fumava os “diversos” aquilo me trazia a sensação de leveza, mesmo que fosse uma paz momentânea, era como se meu cérebro parasse de “autistar” (eu sou hiperativo) mesmo eu queimando cada sinapse cerebral que eu tinha, aquele amargo na boca me deixava calmo.
Meu vício e depressão perduraram até um webnamoro merda que eu tive em que eu acreditava que era a “garota perfeita” pura ilusão de um emocionado eu realmente pensei que eu poderia vê-la, ter uma família com ela, conseguir consertar as merdas que eu fiz para mim mesmo e começar a amar o falo ambulante que as pessoas acham que eu sou, eu simplesmente dei tudo para ela e durante os primeiros 7 meses foi tudo ok, era muito amor e muita consideração minha, pois eu sou um cara muito “good guy”, ela tinha uma depressão bem forte por conta do pai abusivo e da mãe ausente (o pai dela é pastor e espanca os filhos, fica bêbado, vive na degeneração, bolsominion) esses pontos que geraram uma “femcel” esquerdista e bissexual.
Ela era fofa, eu achava que estava apaixonado, mas como todos os meus namoros ela só meu usou porque não tinha nada melhor. E me trocou por um ex paulista “femboy” que exigia nudes dela e a travata como lixo, simplesmente eu me sentia muito culpado, pois eu tinha me iludido em algo que claramente não tinha futuro, mas eu sou extremamente carente então o melhor encantamento para me levar no bolso é dizer que me ama, independentemente da circunstância, literalmente ela dizia coisas para eu me sentir horrível comigo mesmo e logo depois dizia que me amava, eu me sentia abraçando um cactu mesmo que não fosse de “verdade” era a primeira vez que alguém falava que me amava, eu entrei em pânico, mesmo eu sabendo cada segundo que aquilo não era o certo a se fazer e eu estava regredindo.
Querendo ou não ela me ajudou a superar uma fase da minha vida, mas eu nunca parei de me sentir um objeto. Na real eu ainda tive mais certezas disso eu simplesmente sou um dildo de plástico que estou na gaveta para quando elas não têm ninguém. (não eu não me considero bonito, longe disso eu to mais para brasileiro morador de periferia padrão)
Logo depois disso eu quis adiar o problema e começar a sair mais com meus colegas e meu primo começou a morar aqui por volta de 3 meses foi tudo tranquilo até que fomos num “hokah” (buteco adolescente) nós juntamos lá, eu comecei a beber até que perdi a inibição e comecei a ir em toda mulher que eu via pela frente igual um macaco, a primeira me achou simpático e me puxou pro canto quando tudo já ia dar certo um colega me barrou dizendo que ela já tinha “dono”, eu ri e meti um “a gente divide, né pae” meu colega riu muito, por ele conhecer ela a mais tempo eu decidi não “profita-la”, mesmo com ele não conseguindo pegar ela depois, por pura consideração pelo cara, eu fui em outras 6 depois dessa e tomei fora de todas e ganhei um apelido de 7.
Na real é que as garotas agora me viam como uma piada que está lá para quando inflar o ego delas para quando elas precisam, tradução literal: “esquento para um babaca com grana comer”. Esse foi um dos momentos mais WTF possíveis na minha vida se não fosse a briga com meu primo que rolou depois. Ele ouviu o que eu tinha comentado com o meu colega e como as pessoas gostam de me oprimir inventaram uma história vergonhosa sobre meus foras para parecer herói na frente no irmão do meu melhor amigo, e como o resto dos meus amigos de infância babam o ovo do meu primo eles literalmente concordaram com ele criando 3 histórias diferentes do ocorrido literalmente forçando que eles eram “os heróis que salvaram o pequeno betinha de ser cobrado na saida do butequinho”, além do meu primo viver se achando o bonzão ele era um gigolô da porra em casa e só aproveitava não dando uma foda para minha mãe, sendo que ela fazia das tripas coração pro arrombado ele nunca tratou ela do jeito que ela merecia, eu cobrei a mentira que ele inventou e simplesmente fui contra toda a minha rodinha de amigos sendo fraco e falho.
Eu não deixei ele falar toda aquela merda sem ter penalidades, mesmo implorando para ele parar de falar e párarmos de discutir, ele veio para cima eu dei um no queixo e na orelha.
Foi o suficiente para deixá-lo katinguelê, então ele me ameaçou de pegar uma faca para mim, então eu quebrei uma bacia de vidro e com a mão e com os cacos sagrando na minha mão eu falei “tu meu irmão, que viveu a vida toda comigo, vai me furar, na nossa casa, com a nossa família aqui, NA MINHA CASA?”. Além de jogar umas coisas na cara dele porque ele merecia.
Foi o suficiente para minha mãe expulsar ele de casa, meus amigos acharam que eu armei para ele e a pessoa que literalmente passou 16 anos da vida ao meu lado meu melhor amigo chupou o ovo do meu primo, vendo tudo que ele diz como verdade absoluta.
Mais cedo ou mais tarde íamos brigar eu acabei de brigar com outra pessoa que viveu a vida toda ao meu lado, isso para mim, é frustrante porque literalmente eu sou dependente de toda emoção positiva que as pessoas têm por mim, ele usou o argumento que eu sou “mimado” por não ter nada da forma que eu quero, mesmo eu saindo errado em tudo quase sempre. Esse argumento ele valida falando que “eu tive tudo na vida agora não aguento perder”, eu esqueci de falar que a amante do meu pai antes de ser pega pela minha mãe roubou todo o dinheiro do meu pai e sumiu do mapa.
Meu pai trabalha no comércio então com a crise, inflação, copa do mundo, carnaval e covid. A gente sempre passa um aperto aqui e alí.
Eu simplesmente sou muito sensível a essa merda eu não sei porque esse padrão aleatório de merda me segue e eu não consigo ser feliz, ou do porque eu me importar com isso.
¹Edit: eu comecei a gostar de trans então a tampa do bueiro leva ao esgoto, por isso eu to aqui. ²Edit: eu me sinto sozinho e vulnerável ³Edit: eu sinto que a minha solução seria uma pessoa que sofreu tanto quanto eu para me entender verdadeiramente. ⁴Edit: esse post é frescurento para um caralho, pois eu sou horrível contando algo então essa merda parece pura frescura, mas foi traumático cada segundo ⁵Edit: apanhei para caralho na escola quando era muleque por ser esquisito ⁶Edit: minha irmã não me suportar e tentou me matar usando um iPhone 6 plus, ela quebrou ele na minha cabeça 8 (pontos). ⁷Edit: tentei me matar usando cabo de extensão no box do banheiro e pulando de uma cachoeira.
⁸Edit: é minha primeira vez sendo op aqui, não tenho muito experiência.
Also, acho que embananei essa porra para caralho e não cheguei em lugar nenhum, mas eu precisava de um lugar para postar essa merda sem polimentos com esses pensamentos abstratos antes que eu comece a chorar pelo quão random essa merda de vida é.
submitted by Control-Much to desabafos [link] [comments]


2020.08.07 03:32 OtakaLixo O meu vazio emocional.

Bom, eu não sei como começar isso então vou direto ao ponto. Eu cresci tendo apenas uma amiga, a qual eu confiava todos os meus segredos, intimidades, problemas e problemas familiares. A 2 anos atrás tivemos que mudar de escola e fomos para a mesma pq não queríamos perder contato, lá ela conheceu outras pessoas e eu também, começamos a gostar de coisas diferentes, conversar com pessoas diferentes e aos poucos fomos nós afastando. Depois de uns meses estudando lá, ela começou a contar coisas pessoais sobre mim para as amigas dela. Quando ela descobriu a minha bissexualidade começou a me fazer ameaças dizendo que todo mundo saberia inclusive a minha família. Eu comecei a me sentir muito sozinha, pois nunca fui muito extrovertida como ela e tenho uma personalidade difícil de se lidar. O tempo passou, e com a chegada de 2019 ela mudou novamente de escola (o que me causou um misto de alívio com saudade de quando éramos amigas), mas pra minha surpresa, acabei separada das únicas 3 amigas que tinha conseguido em 2018 (as quais sou muito grata, pq me apoiaram muito quando comecei a me sentir mal), tentei de todas as formas possíveis não deixar isso me abalar, tentei interagir mais com a minha turma e até com as outras, fiz o possível pra ter novas amizades mas nada adiantou e o sentimento de vazio foi crescendo cada vez mais. No fim do ano, conheci um garoto 5 anos mais velho na internet (que chamarei de Gabriel aqui), e nos conhecemos por um acaso do destino na virada do ano, então eu tive certeza que tinha me apaixonado por ele mas nós nos afastamos, então namorei 2 outros garotos (um antes do carnaval e outro depois do carnaval), o primeiro era muito gente boa, me tratava muito bem e tudo mais, mas o segundo me fazia sentir um completo lixo. Terminei o segundo namoro e voltei a falar com o Gabriel logo em seguida, contei pra ele tudo que tinha acontecido e ele me ajudou muito, todas as noites ele me ligava e a gente até as 3 da madrugada conversando, ele tocava umas músicas ora mim e enfim, o sentimento voltou muito forte. Nós saímos juntos, ficamos e no domingo passado eu fui na casa dele. O sentimento de solidão não parou desde 2018, eu criei traumas por causa do meu segundo namorado, não criei nenhum laço forte de amizade de 2019 pra cá e tenho crises de ansiedade constantes quando lembro de tudo que aconteceu nesses últimos 2 anos (foram muitas coisas, mas o texto ficaria extremamente longo caso eu contasse tudo), mas estranhamente quando estou junto com o Gabriel tudo parece mudar, como se o tempo voasse e eu me sentisse viva denovo. Ele não sente o mesmo por mim, é apaixonado por outra menina é descobrir isso quebrou meu coração, ele tem depressão alguns traumas do passado também (que não contarei aqui por respeito a ele), eu tento ajudar ele e talvez motivar ele a não desistir de nada, mas me sinto uma completa inútil quando vejo que amigas virtuais ele fazem isso melhor que eu, me sinto uma completa perda de tempo pra ele, sinto que não tenho valor nem serventia pq nem se quer consigo ajudar alguém que eu tanto amo. Meu coração tem acelerado todas as noites na última semana, eu tenho me sentido cada vez mais insignificante e ridícula, um vazio tem tomado conta da minha alma cada vez mais. Eu sei que parece idiota e peço desculpas por te fazer perder seu tempo. Muito obrigada por ler e se tiver um conselho eu agradeço de coração
submitted by OtakaLixo to desabafos [link] [comments]


2020.07.27 07:26 tacaleb maior mico do meu romance

la luba ,inscritos editores, gata e mães/ pais solteiros que estão haver
nossa que triste essa historia ....
tenho 16 anos e moro em são paulo ..
certo dia estava na escola e tipo sabe aqueles momentos que você unnh vou morre sozinho então ,vishkk
bora para historia
um certo dia cansado da escola cheguei em casa abri o portão , meus cachorros estava me esperando na porta de casa super comportados /tipo só quem tem labrador sabe, beleza . entrei em casa arrumei minha coisas abri liguei o celular e fui mexer, lembrei que estava sozinho em casa e já que sou um menino muito santo abri um app de namoro ( cujo nome é chat anonimo) que já usava fazia um ano só na zoeira . tudo bem papo vem papo vai niúngue que me chamou atenção, ate que fui em área e vi um boy de cabelo ate o pesco tipo Harry Styles kkkk não se compara . nossa eu me apaixonei ficava todo o santo dia conversando com ele, ja que ele era mais velho do que eu vivia em segredo calma era so (2 anos ) na verdade dia 31/07 e aniversario dele afins
cara eu tava realmente amei ele mais ele foi um cuzão cmg ahhhh ele sumiu por uma semana ai eu chorei e tal. ele me bloqueou e mando isso pra mim ( eu tava sendo o amante dele sem saber que ele ainda não tinha termindo com o namorado dele, ai depois que ele "terminou achei que estvamos junto
"eu sou parasita tóxico, e não quero te fazer sofrer mais. Não vou fazer ninguém nunca mais sofrer, eu queria me despedir por ligação, mas o choro iria me atrapalhar, você merece encontrar alguém que não te faça sofrer, alguém que possa te amar pessoal, alguém que queira estar vivo, talvez você comece a me odiar por isso, e talvez eu mereça.
Tchau doce criança
I love you too"
não apaguei isso ainda que tenho que mostra pra minha psicologa depois apago.
depois de ter chorado por uma semana inteira minha amiga da minha sala pediu o numero dele ai ela falou com ele e tals ,ai ele quis falar comigo pediu desculpa ai eu fui trouxa e voltei com ele tipo na minha visão vc vai entender
fui da minha escola ate a minha casa falando com ele a esqueci de falar ele morava em Goias se não me ingando em maria rosa sei la .
tava muito feliz que nos íamos nos casa no aniversario dele escondido dos meus pais homofóbicos que vão na igreja que fica perto do lugar que iamos nos casar kkk, to rindo chorando
tínhamos ate alguns planos de ir para o canada com ele
ate que tudo que estava bom se acaba né , beleza no inicio da quarentena a gente brigou mais foi tipo que ele furou quarentena para Brasilia , compra algumas coisa para o restaurante da mãe dele , ele me conto algumas coisas pesadas tmb ne ja que ele era meu psicologo eu era o dele ,ai um cero dia ele ficou o dia inteiro sem fala comigo .ai tava achando estranho
ai vi que ele tava online ai eu fiquei mando mensagem pra ele acada 1h para ver se me respondia tipo eu- oi vida tudo bem? 9:00
eu- bom dia amor da minha vida ?10:00
eu- to aqui me responde? 13:00
eu - amor como foi seu dia 18:00
s- oi.
s- o que vc quer ?
eu- atenção
ai ele foi escroto fiquei bravo desliguei o celular e foi viver a minha vida no dia seguinte ela tava um amor comigo ai falei que não tava bem ai me bloqueou no whatspp e todas as rede sociais, ok
ai fui pagar uma de a vingativa peguei o numero dele madei para um mlk ,que ele deve ta pegando agr , ok
ai esse mlk colocou ele no grupo que eu tava de nudes. ai ele ficou dando em cima desse menino esse menino falando que ele era meu namorado ai ele perguntou do nosso relacionamento ai ele falou que a gente nem namorava ai fiquei pistola liguei chorando para minha para minha amiga graça a universo to conseguindo supera ele . kkk.bjs<3<3
chama o t3ddy pra gravar mais vezes
submitted by tacaleb to nhaaa [link] [comments]


2020.07.05 05:31 zer0cu Talarico sem culpa

Eu tinha 1 amigo na juventude q a gente fazia mt pirraça juntos. Ele tinha uma namorada mas eu nunca a olhei c/ outros olhos. Namorada de final de semana. Era assim os namoros na nossa época. Geralmente os pais n deixavam as adolescentes namorar ou sair td hora. Então a gente ia para os soares dançar e lah ficava c/ as minas. Era normal isso
A gente curtia diversos salões de discoteca e ateh em outras cidades. Um dia meu amigo pediu para eu ir em um salão pq a namorada dele estaria lah. Era para mim ficar fazendo cia para ela e cuidando dela para ele enquanto ele ia em outra cidade ficar com outra mina que o pai liberou para ir ao baile. Concordei
Entrei no salão e procurei por ela e encontrei fácil. Ela usava sempre a mesma roupa nas discotecas. Ficamos dançando a noite td. No meio das músicas disco sempre tinha as músicas lentas. Ela convidou p/ dançar pq o namorado estava doente e eu podia dançar com ela. A gente era mt conhecido ali
No meio da dança alguém esbarrou em nos e por coincidência na mesma hora que os rostos estavam frente a frente. Acabamos nos beijando e ficando
Ficamos preocupados e decidimos sair dali pq td mundo conhecia a gente. Fomos p/ uma praça. A gente sentou no banco e começamos nos beijar como se n houvesse amanhã e não haveria mesmo
Peguei nos seios dela sem nenhuma negativa da parte dela e continuamos os beijos e os amassos. Convidei ela p/ irmos na minha casa. Minha mãe estava na minha tia e minha irmã na casa do noivo. E fomos
Chegando em casa fomos direto p/ a cama da minha mãe continuar os amassos. Tirei a blusa dela. Ela era linda de rosto e de corpo. Tirei a calça dela tb e comecei a beijar e massagear aquela xoxota e seios. Uma delícia. Fui puxando a calcinha e beijando aquela buceta enquanto tirava minha roupa
Qnd eu jah estava nu pronto para come-la ela pediu para parar porque ainda era virgem. Fiquei frustrado sem saber o que fazer mas não insisti. Cai na real no problema q aquilo seria e coloquei minha roupa e ela a dela. Por coincidência minha irmã também chegou. Meu cunhado foi ateh o quarto e olhou p/ a gente. Tudo normal pq a gente estava de roupa
Fui levar ela em casa. 20 minuto de caminhada. Próximo da casa dela paramos pq eu n podia levar ela ateh lah. Começamos a beijar de novo ela enfiou a mão na minha calça de elástico, igual um moletom soh q tecido mais fino e me punhetou bem gostoso enquanto me beijava. Gozei ali naquele murinho da escola. Acho q foi a melhor pegada no meu pau q recebi ateh hj
Durante a semana n encontrei meu amigo em nenhum dia. Ele sumiu. Nos encontramos na frente da discoteca e ele puxou uma escarrada e guspiu próximo de mim. Percebi q n éramos mais amigos e toquei minha vida sem ele e nunca mais o vi
Eles terminaram e logo em seguida ela casou com um cara bem mais velho q traía mt ela. Ela sumiu da cidade. Uma pena pq se a gente tivesse transado naquela noite estaríamos juntos ateh hj. Ou mortos
submitted by zer0cu to sexualidade [link] [comments]


2020.06.03 21:38 tsuga2004 Meu dia foi de bom a terrível

Oi, não sei muito bem como começar isso. É um longo desabafo, e eu só queria tentar me sentir melhor fazendo isso nesse subreddit.
Eu sou um garoto de 17 anos, e hoje está sendo extremamente sufocante pra mim.
Meu lado emocional nunca foi bem desenvolvido, e eu normalmente nunca demonstro carinho por ninguém. Tive algumas chances de me envolver com garotas ao longo do ensino médio (sou bixo da faculdade), mas nunca corri atrás disso.
Acontece que em Outubro de 2018, eu conheci uma garota na internet, e a gente começou a se falar. Ela é de outro país. No início foi bem como uma amizade mesmo (já sabe onde isso vai dar né), mas aí, do meio de 2019 pra cá eu comecei a realmente me apaixonar por ela.
Foi quando ela me enviou uma pintura que ela mesmo fez (ela sabe pintar), e eu fiquei extremamente feliz, porque era a primeira vez que alguém tinha me dado algo tão especial.
A gente continuou conversando e cada dia mais ela entrava na minha vida como uma pessoa admirável, por tudo que ela fazia. Eu realmente queria estar ao seu lado todos os dias.
Mais ou menos no final de Novembro ela começou a namorar, e eu não vi isso como um problema, até porque eu tava muito focado nos vestibulares, e, sinceramente, eu tenho ideia de que relacionamento à distância tem uma chance bem alta de vir a falhar, e eu provavelmente não conseguirei estar onde ela está bem cedo.
Por esse último motivo, eu nunca realmente falei exatamente como eu me sinto pra ela, e ela só me vê como o "bom e velho amigo que escuta seus desabafos".
Beleza, passei as férias de verão sem falar muito com ela, porque ela tava curtindo o namoro dela e tals. Em Janeiro, eles terminaram, e o ex dela foi um babaca: começou a ignorá-la sem motivo, a desrrespeitá-la e tals.
Ela ficou bem abalada, e eu a confortei com o que pude. Eventualmente, ela melhorou.
Agora vamos ao título.
Ontem eu estava conversando sobre ela com uma outra amiga minha, pra ver o que ela pensava sobre tudo isso. Em resumo, eu decidi que eu ia mudar a minha postura para uma mais madura de agora em diante, pra ela parar de me ver como um amigo. Eu ia começar a me envolver mais com ela, a tentar ser um pouco menos medroso.
Então, hoje, depois de dias acordando cansado e pensando que o dia ia ser uma merda devido à quarentena e ao EAD, eu acordei realmente feliz e motivado.
Eis que eu dou bom dia e pergunto como ela está, e ela me responde que ela tinha conversado pessoalmente com o ex dela (lá já acabou a quarentena). Adivinha? O ex falou que no período que eles se separaram ele tava surtando, não achava que merecia alguém como ela, que ele tinha se isolado por se sentir incapaz... Bom, ela disse que talvez ela ainda goste dele, e começou a me falar que não sabia o que fazer.
Enfim, um dia que era pra ser bom, virou uma grande merda, a pior merda. Eu nunca tinha passado por uma situação como essa, parece plot de filme. Eu tenho quase certeza que eles vão voltar a se falar, e ela vai se distanciar de novo de mim, como no início do ano.
E o pior é que a culpa é toda minha. Ela não sabe o que eu sinto por ela, ela não falou sobre o ex dela por mal. Ela deve estar tão confusa quanto eu. Eu quero que ela seja feliz acima de tudo. Mas... e eu? Mesmo que a culpa seja minha, eu ainda me sinto muito ruim, essa sensação de "coração quebrado", eu nunca tinha sentido isso. Hoje eu não fiz nada, só chorei no banheiro. Eu me sinto muito, muito ruim, e não sei pra onde correr, sabe? Em Dezembro, eu estava mais distraído com os vestibulares e com a escola que eu frequentava. Agora, na quarentena, tá difícil.
Provavelmente a resposta é esquecê-la, né. Mas, eu não consigo fazer isso, não consigo. E o pior é que provavelmente eu irei passar por isso mais vezes, se eu não cortar o contato. Ver ela desabafar sobre o ex dela, sem poder falar nada, de como tá doendo aqui, é sufocante.
Um dia eu espero que eu possa dizer a ela tudo que eu sinto. Eu não disse isso hoje porque eu sou um medroso, e também porque tudo isso que eu estou passando não é culpa dela, é só da minha incompetência.
Parece até pegadinha. Eu normalmente sou pessimista, e hoje, quando acordei achando que tudo ia dar certo, me acontece isso, e eu fico sem chão.
É isso, obrigado de verdade por ler tudo.
submitted by tsuga2004 to desabafos [link] [comments]


2020.05.16 05:31 1aysha Eu sou a babaca por continuar mentindo pra minha mãe sobre um menino que eu gosto e ela odeia?

Vamos lá, história looonga...
Eu e esse menino, vamos chama-lo de "dudu", a gente se conheceu no meu condomínio (onde ele era novo e tals), mas, não foi nessa época que a gente começou o nosso caso. Nessa época, a minha mãe e a mãe dele eram mt amigas e todo mundo do condomínio conhecia ele e a gente era amigos. Dps de uns dois anos ele se mudou, mas nos dois mantinhamos contato e um dia, dpsss de mtttt tempo sem se ver, chamei ele pra visitar a galera do cond...e ai que começa a nossa história.
Nessa visita, além da zoação com a galera e mt conversa, acabei roubando um beijo dele e tudo mudou (literalmente). Quase todo dia ele ia pro cond me ver e a gente ficava; nesse meio tempo, decidi n contar pros meus pais sobre eu e ele, pq n tava rolando nd sério e a gente ainda tava conversando sobre isso (já que eu e ele tínhamos acabado um namoro recentemente, antes disso tudo)...a merda aconteceu quando ALGUÉM do cond contou pros meus pais sobre eu e ele...foi só briga discussão, no final eu e ele n podíamos ter nada, pq ele era mais velho do que eu (2 anos de diferença) e tb por eu ter omitido isso dos meus pais. Conversei com ele sobre o ocorrido e decidimos seguir nossas vidas, mesmo gostando mt um do outro; a gente ainda conversava mt, mas sem segundas intenções.
Esse rolê todinho aconteceu no início de 2019, e no resto do ano minha mãe sempre desconfiava de mim em tudo que fazia, foi (e é) um inferno; acabei ficando com outras pessoas (tentei seguir minha vida, pra tentar esquecer ele), porém n deu mt certo.
No início de 2020, decidi que n tinha como negar a mim mesma, eu ainda gostava mtttt dele e queria tentar de novo, mesmo minha mãe n gostando da ideia de eu e ele...conversei com ele sobre e tudo voltou; tive a ideia de ele ir la na minha escola pra a gente se ver: quando a minha aula acabasse ele me encontrava no caminho que eu fazia pra pegar meu ônibus, pegavamos e ele descia lá no cond e dps ele voltava pra casa; bom deu tudo certo, mas por algum milagra(ou punição) de Deus minha mãe descobriu no outro dia. Na escola, ela me mandava msgs falando um monte de coisa, me xingando, xingando ele, eu não parava de chorar...meu pai me ligou, expliquei tudo e ele me buscou na escola foi super compreensível cmg e ainda me deixou em casa; quando cheguei, além dela ter me batido mt e ter me dado um soco na cara, ela ainda falou um MONTE de falas racistas sobre ele (ele é negro), n me deixava explicar e nem falar...dps dessa briga acredito eu que a minha mãe nunca tenha deixado eu e ele dar certo pela cor dele. Depois dessa briga fui pra psicóloga do meu colégio, pq n tava fácil kkkk ela me ajudou bastante.
esqueci de um detalhe, meus pais tavam se separando e minha mãe n tava mt bem e tals
Enfim, contei pro Dudu sobre o ocorrido e ele sempre compreensível cmg, disse que nunca desistiria de mim e que entenderia se eu achasse melhor "terminar", ele sempre entendeu toda a situação com meus pais. Decidi que ficaríamos juntos, conversamos ainda todos os dias escondidos da minha mãe e ele é um cara que n é pra se desistir tão fácil. Temos a esperança de que a gente possa ficar juntos.
Então guys, sou a babaca por ainda estar mentindo pra minha mãe?
submitted by 1aysha to EuSouOBabaca [link] [comments]


2020.05.01 03:25 biasann O caminho difícil pra chegar nos meus sonhos

Oi, sou nova aqui.. Não sei bem como mexe nesse app, mas vi esse grupo e muita gente desabafa aqui, então resolvi compartilhar com vocês o que eu ando passando. Para alguns pode ser algo idiota, (até porque existem pessoas que lidam com problemas reais, depressão, pobreza, doenças, etc) mas para mim anda sendo o que me aflige todos os dias.
Eu desde nova sempre fui muito criativa, fazia desenhos incríveis, aprendia qualquer matéria com muita facilidade, tudo o que eu fazia era bem feito. Você já estudou com alguma uma menina no fundamental que tinha toda cor de caneta colorida? Então essa era eu. Caderno sempre impecável. Aos 8 anos meus pais se separaram. Eu fui morar com minha mãe, somente eu e ela, via meu pai a cada 2, ou 3 anos mais ou menos.. Morava em Uberlandia-MG, mas como minha mãe achava muito perigosa a cidade para criar uma filha sozinha nos mudamos para uma cidade pequena de Goiás.
Me mudei aos 11 anos, isso em 2010, e comecei uma vida nova. Estava no 7° ano (era adiantada, pq já morei fora do país). E aconteceu que acabei repetindo de série. -Já não era mais adiantada! ☹️- Quando consegui passar para o 8° .... Repito.. Outra vez. E a mesma coisa se passou no 9°. Resumindo: Eu bombava uma vez, passava, bombava, passava. Bombei 3x.
A partir do momento em cheguei nessa cidade, perdi o interesse em estudar.Juntamente com o desinteresse vinha a loucura da puberdade..Aos 14 aprontei mais do que uma adolescente poderia aprontar. (Aprontar no sentido de: beijar muito, pular muro, ir em muitas festas, dar Pt, ser falsa, xingar a mãe, voltar de madrugada, usar drogas)
No final dos meus 16 anos conheci um homem, 10 anos mais velho que eu (inclusive era meu Sensei (prof de karatê) rsrs) e namoro com ele até hoje. Ele me fez mudar, evoluir, amadurecer e me ajudar a tornar a pessoa que sou hoje. Teve um ano ou outro que eu estava super focada em estudar e era uma das melhores da classe. 2018 terminei o 3° ano. Nesse ano fiz prova do Encceja (pra terminar estudos), bombei na redação então tinha que ir na escola para fazer as matérias de linguagens. Foi o melhor ano! Aprontei o ano todo, ficava atoa na sala de aula. (Aprontei no sentido de fazer muita bagunça e beber dentro da sala, lembrando que eu estava namorando).
Mas aí veio 2019. MEU DEUS! O QUE EU FAÇO AGORA???
Passei no vestibular para Letras-Português e Espanhol. (Faculdade 100% online)
-Gosto muito de Espanhol, como morei na Espanha quando era pequena sou fluente, então gostaria muito de trabalhar com algo que fez parte da minha vida. Meu sonho também é aprender inglês, japonês e coreano. Também escolhi essa faculdade porque na minha cidade, como é pequena, não possui muitos professores de Espanhol, sempre está em falta. -
Você deve pensar: ah, perfeito então, só estudar e já era! ✨😍
Só que não. Quem disse que consigo estudar? Disse mais cedo que meu namorado mudou minha vida, me fez ser uma pessoa melhor. Mas mesmo com ele não consegui recuperar a vontade de ser alguém que eu tinha quando criança. 2019 foi um ano desperdiçado, eu comecei a primeira matéria (Educação Inclusiva) muito empolgada, estudei, fiz a prova, passei, tirei nota super alta. Mas no final do semestre eu tinha que fazer um trabalho (super simples, com introdução, des e conclusão) e por não fazer acabei bombando no semestre inteiro.
No segundo semestre eu entrei em um app que contrata profissionais para fazerem trabalhos e paguei um para fazer. Porém, eu não tinha realizado as atividades online do segundo semestre, então não adiantou passar no semestre, né?
2020 chegou e estou no terceiro semestre. Matérias acumuladas, eu pago 230 por mês nessa faculdade que eu consigo desperdiçar todos os dias 😔 As matérias acumularam e estou pagando mais R$ 100 todo mês para repor. + Dinheiro desperdiçado né??
Todo dia é uma luta EU vs EUZINHA para eu colocar na minha cabeça que tenho que estudar. Eu entro no ambiente Virtual, olho, mas não tenho a CORAGEM de tirar algumas horas para estudar. Lembrando que: MINHA FACULDADE É SUPER FÁCIL! apenas um trabalho por semestre, 1 prova por mês e algumas atividades e vídeo aulas pra ver e realizar.
Me pego pensando as vezes, porque é tão difícil pra mim, porque não consigo realizar meu sonho? Porque eu sou tão descrente? Porque sou tão inútil ao ponto de não conseguir fazer uma faculdade tão fácil?? Eu queria essa coragem que as pessoas tem para estudar o tempo todo. Eu tenho objetivos, planos, mas não consigo realizá-los. Queria voltar a ser aquela criança criativa. Não quero colocar a culpa em alguém, não é justo. Mas penso as vezes que nunca tive pessoas para me incentivar.
Você deve pensar: "Ah, mas vc viajou para fora do país, como ngm te incentivou? Viaja pra fora do país quem tem dinheiro, quem conquistou coisas" -é aií que se engana! Na verdade não sei de onde meu pai tirou dinheiro na época para viajar. Meu pai era apenas((não no sentido de menosprezar a profissão, ok?! No sentido de ganhar pouco!))um lanterneiro, foi comprando uns carros usados, reformando e juntando dinheiro. Com a ajuda da irmã dele fomos morar na Espanha durante 2 anos e meio.
Estou há meia hora escrevendo, não sei se alguém irá ler até aqui, mas enfim, agora mesmo preciso fazer o trabalho do 3° semestre, para o dia 16, mas quem disse que consigo? Compro cadernos, marca textos para me incentivar, porém não sai nada. Parece que meus sonhos estão cada dia mais longes, porque a pessoa aqui não consegue vencer um simples obstáculo.
Admiro você, que tem objetivos em mente e não desvia do caminho. Eu cada dia me sinto mais uma perdedora. Sem contar que minha memória é péssima, não sei se é por conta da maconha, das pingas ou de falta de treino de cérebro mesmo. Obrigada por ler até aqui, escrevi isso e desabafando me sinto melhor.
Irei tentar ser alguém melhor para mim. Aliás, "tentar" NÃO. Eu irei conseguir.
submitted by biasann to desabafos [link] [comments]


2020.02.14 16:42 movergonha Ciúmes

4 meses de namoro, e hoje é a 2° vez que me sinto inseguro sobre meu relacionamento... Poderiam opinar sobre?
Seguinte, a um tempo atrás (mais ou menos 2 meses de namoro), minha namorada aceitou participar de uma brincadeira na escola, o famoso "verdade ou desafio", já sabendo que tinham homens participando da brincadeira, isso já foi um erro dela, correto? Ok, mas relevaria tranquilamente se fosse somente isso, o problema é que ela escolheu desafio ao invés de verdade, e escolheram um desafio besta - mas que pra mim tem peso - o desafio era deixar um dos meninos beijar o pescoço dela, como se fosse um chupão, mas leve... (Essa é a versão que ela conta, não sei se realmente foi só isso, ou se houve mais coisas, porém ainda confio nela), mas mano, ela aceitou e isso me deixou tão pra baixo, por que ela simplesmente poderia recusar e não fazer nada, ninguém iria obrigar ela já que seria assédio.
Velho, eu não sei se é exagero meu em sentir ciúmes por causa disso, ou ficar tão pra baixo... Enfim, perdoei ela, mas ainda me sinto inseguro em relação ao convívio dela com outros homens, é tanto que fico diferente sempre que ela fala sobre alguma coisa relacionada a amigos homens (principalmente as amizades mais recentes), eu desconfio e ao mesmo tempo me questiono se isso é válido, ou se tô sendo muito ciumento e paranóico.
Ela seleciona bem as pessoas com quem quer falar, até mesmo antes de conhecer, tipo, a primeira vista ela já define se a pessoa é alguém com quem ela criaria vínculos, ela mesmo assumiu isso. Pelo meu raciocínio, a questão da aparência vale muito pra ela, se baseando nesse hábito aí que ela tem. E ontem ela me disse que não gostou de muita gente na sua sala nova (principalmente mulheres) e já tá quase arrumando intriga kkkk enfim, mas ela fez amizade com um cara, disse que era legal e tudo mais, e pensando em todo o histórico q já contei, sinto medo de acontecer algo parecido novamente, ou pior... As aulas começaram antes de ontem, e hoje ela já saiu com alguns amigos pra comer, saíram mais cedo da escola e tudo mais, dizendo ela que só foi por que pagaram, mas quem é o homem em sã consciência que pagaria comida pra uma mulher que conheceu não faz nem 1 semana, sem intenções nenhuma? meu Deus, me sinto tão inseguro, não sei mais o que fazer, já conversei com ela, e pelo que ela diz, não pretende repetir aquele ocorrido do verdade ou desafio, nem coisa parecida...
Mas queria saber, eu estou sendo inseguro sem motivos? Tô sendo muito paranóico e ciumento? Eu até tento melhorar, mas não consigo me tranquilizar... Ao mesmo tempo que sinto essa angústia, prefiro não falar que tô sentindo ciúmes pra não incomodá-la, mas quando tô pensativo de mais, ela acaba percebendo e eu desabafo, nós conversamos, e no final nos abraçamos e sai tudo "bem", porém minha confiança não volta ao estado de 100%, eu sou um lixo por tá assim?
submitted by movergonha to desabafos [link] [comments]


2017.11.13 21:35 tombombadil_uk Today I fucked up: a estranha sensação de reencontrar um amor do passado 12 anos depois / Parte 2

Não esperava que a Parte 2 ia rolar tão cedo, mas tem atualizações aí. Para quem quiser, dessa vez tem um TL/DR no fim.
A parte 1 é essa aqui: https://www.reddit.com/brasil/comments/7c6tsx/today_i_fucked_up_a_estranha_sensa%C3%A7%C3%A3o_de/
PS.: escrevi isso aqui correndo assim que cheguei em casa, então provavelmente pode estar confuso ou com uns errinhos. Nem de perto foi tão trabalhado quanto o conto que eu fiz da primeira parte. Me desculpem de antemão.
Tive uns dos finais de semana mais atípicos dos últimos anos. Acho que nunca viajei tanto em memórias e dúvidas. Será que realmente rolava alguma coisa? Aliás, será que foi ela mesmo que eu vi na rua? Ela aprecia tão mais velha que talvez sequer fosse a mesma pessoa. E cá estava eu viajando porque uma pessoa aleatória me morou na rua e eu a confundi com alguém que não vejo há doze anos.
Ainda assim, embarquei na onda da nostalgia. Escutei os CDs do Linkin Park, System of a Down, Evanescence e Radiohead que a gente ouvia na época, baixei alguns jogos que eu jogava na época (Xenosaga, Burnout e alguns outros) e coloquei no PS2 que eu achei por um preço ridículo numa feira de rua. Assisti Anjos da Noite e Oldboy, dois que eu lembro de ver naqueles tempos. Domingo eu estiquei a ida à feira e fui até o curso de inglês que frequentávamos juntos, refiz o caminho de lá até casa onde os pais dela moravam. Antes que perguntem, não, eles não moram mais lá. Sei disso porque a casa apareceu à venda há muito tempo.
Foi um fim de semana agridoce. A esposa me achou meio para baixo, eu revirei horas no travesseiro antes de conseguir dormir. Segunda de manhã, indo para o trabalho, eu já estava mais sossegado. Cheguei à conclusão que havia uma enorme possibilidade daquilo tudo ser um baita mal entendido, que aquela mulher sequer era ela. E que eu provavelmente jamais a encontraria na minha vida. E me preocupar com algo tão inatingível era sem propósito algum. O fato de eu ter tentado encontrá-la no Facebook por horas sem sucesso só reforçava isso.
Eu conhecia apenas um dos seus sobrenomes, mas ela não aparecia de forma alguma. Tentei com sobrenome aleatórios algumas boas 20 vezes, devo ter aberto mais de 200 perfis. Nada. Nem sinal.
Mas eu queria falar com alguém sobre aquela história, então decidi me abrir com um amigo do trabalho que é bem gente fina e em quem confio. Passei o almoço contando a história e depois ficamos uns 40 minutos discutindo o assunto. A conclusão dele foi a mesma da galera daqui: "Caralho, como você não falou com ela? Dava um oi, chamava pra conversar".
Falei para ele também que estava começando a duvidar de mim mesmo. Ela estava com uma aparência tão mais velha e nós temos a mesma idade, eu dizia. "Cara, classe média baixa, dois filhos com 20 e poucos anos, voce nem sabe se ela é casada ainda ou não. Às vezes virou mãe solteira e está numa luta fodida".
Quando voltamos para o trabalho, fiz mais uma rodada de pesquisa no Facebook. Talvez fosse uma memória embasada do passado, talvez fosse só uma coincidência, mas eu cismei com o sobrenome Ferreira. Não era o sobrenome que eu sabia com certeza, só um chute que ficava martelando a minha cabeça. Parte de mim dizia que era confusão. Eu tinha uma amiga com o mesmo nome dela é Ferreira no sobrenome, provavelmente estava só confundido as coisas.
Nesse processo, aprendi que o Facebook te dá resultado diferentes para a mesma pesquisa quando você a faz de tempos em tempos. E logo depois desse desabafo, como se falar em voz alta fizesse ela se materializar, ela apareceu. O mesmo rosto de 12 anos atrás, o mesmo sorriso, os mesmos olhos. Minha mão tremeu no computador, levantei para pegar um café é uma água. Respirei fundo, e voltei para ver o resultado.
No começo, senti um misto de alívio e decepção. Ela parecia exatamente como 12 anos atrás, então não era possível que aquela mulher que encontrei na semana passada fosse ela. Abri o perfil e comecei a ver as fotos, os filhos, a pouca vida dela que aquela janela mostrava. Quando abri uma foto mais recente da linha do tempo, a verdade voltou com um soco no estômago: eu realmente a encontrara. A foto de perfil era antiga, mas as mais recentes não deixavam espaço para dúvidas. Eu tinha esbarrado com ela.
Chamei meu colega de trabalho para tomar um café e mostrei as fotos no celular. "Se você não me dissesse que ela tem a mesma idade que a gente, eu nunca ia acreditar em você. Ela parece uns dez anos mais velha, mas era a menina bonita antigamente". E fez a pergunta que eu já estava fazendo mentalmente. "Porra, uma porrada de foto com a família e os filhos, mas e o pai?".
A resposta eu encontrei na lista de amigos dela. Percebi que tinha amigos em comum com outra pessoa da família que tinha o mesmo sobrenome, um amigo farmacêutico que começara a trabalhar em uma farmácia perto do ligar onde trabalho. Era perfeito. Liguei para ele dizendo que queria trocar uma ideia, mas ele tinha acabado de ser transferido para outra unidade da rede para cobrir uma unidade. Com um fogo no cu absurdo, larguei o foda-se no trabalho, peguei um Uber e fui para lá.
No caminho, eu já não sabia bem o que estava fazendo. Eu ficava vendo e revendo aquelas fotos no celular no caminho, lembrando mais e mais dela. É engraçado lembrar de uma pessoa com quem você teve um relacionamento tão profundo e tão curto há tanto tempo. Às vezes eu não sabia bem se eu estava lembrando de alguma coisa ou se eu estava fantasiando, se estava extrapolando algumas memórias.
Fuçando o Facebook dela - curtidas, comentários, gostos, fotos - eu via que ela era exatamente o que eu imaginava. Uma pessoa extremamente simples, de família de classe média baixa, com um estilo de vida simples, bem família e discreta. Os filhos pareciam ser o primeiro lugar em tudo.
Encontrei meu amigo por volta das 16h e subi para a sobreloja da farmácia. Ele vivia falando que o trabalho dele era um marasmo absurdo e tudo que ele fazia quase o dia inteiro era ficar no segundo andar jogando 3DS e como ele estava prestes a comprar um Switch só por conta disso. "Queria ter esses problemas no meu trabalho", brinquei.
Esse meu amigo não é super próximo, mas nos conhecemos há uns 15 anos e crescemos na mesma vizinhança. Apesar de não ser o tipo de pessoa para quem eu desabafo, é alguém em quem eu confio demais. Contei para ele a história toda. "Porra, mas achei que você e XXXX fossem felizes. Vocês têm uma vida tão tranquila". A gente é, eu expliquei. Na verdade eu sou feliz para caralho com a minha vida conjugal, "mas essa ogiva nuclear me fodeu completamente. Pelo menos nesse fim de semana".
É aqui que a história dá uma guinada um pouco para pior. Meu amigo farmacêutico é o tipo de cara que está a cada semana com uma mulher diferente. Os namoros nunca duravam muito. Ele é pintoso e gente fina, então é o tipo de cara para quem chove mulher. E uma dessas mulheres era prima dela, uma mulher com quem ele saiu até por bastante tempo (quase seis meses) dentro dos parâmetros dele.
Ele não lembrava os detalhes, mas ela ficou "falada" na família por conta da crise no casamento. Casou nova, passou para um concurso público que pagava bem mal, mas pelo menos era um emprego garantido, e teve um filho logo no primeiro ano do casamento. No começo, parecia conto de fadas: os dois colegas de escola casam, passam em concursos públicos diferentes (naquele boom de concursos que rolou entre 2005~2010) e têm dois filhos bem rápido. Aos 22 anos, eles já tinham a vida "feita" para alguns padrões.
Mas isso não durou muito. Meu amigo farmacêutico não sabia dos detalhes, obviamente, mas o cara se arrependeu de ter casado tão cedo. Ela largou a faculdade para se dedicar aos filhos. Ainda assim, faltava tempo para cuidar dos dois. Ela largou o emprego público também para se dedicar às crianças e virou dona de casa em tempo integral.
"Ela passou em um concurso público de primeira, eles achavam que ia ser fácil entrar em órgão público mais tarde, quando as crianças estivessem maiores". Burrice do caralho, pensei. A procura por concurso público cresceu vertiginosamente e as vagas minguaram. Agora até os concursos mais bundas tinham altíssima concorrência.
Aparentemente, boa parte da família foi contra. A gente está falando de uma família de classe média baixa de um subúrbio bem quebrado. Para eles, aquela vaga no emprego público era a garantia de que ela teria estabilidade para a vida toda. Ela insistia que o marido tinha um emprego melhor e que eles economizariam tendo ela como dona de casa.
Passaram algum tempo juntos dessa forma, mas o cara ficou de saco cheio. Meu amigo não sabe se chegou a acontecer traição ou não, mas ele enjoou daquela vida. Achava que tinha casado muito cedo, que não tinha aproveitado a vida. Que os dois se precipitaram, que ele não tinha vivido. Que ele não queria ficar preso naquela vida desde tão cedo.
E meteu o pé.
Na família, segundo meu amigo, rolava um misto de pena e revolta com a menina pelas decisões dela. No final das contas, ela voltou para a casa dos pais, entrou em depressão e passou a viver em função dos filhos. Ela não conseguiu terminar a faculdade e jamais a reatou por causa deles também.
Caralho.
No caminho para casa, eu fiquei pensando o quanto aquilo era triste e curioso. Triste por razões óbvias. Curioso porque ela viveu o meu sonho. Sei que pode parecer besteira, mas meu sonho sempre foi casar e ter filhos cedo. Eu nunca fui um cara muito da pegação - até porque, como já disse aí, sempre tive a auto-estima muito baixa - e sempre quis ter uma família, meu sonho sempre foi ter filhos. E eu queria curtir os meus filhos o máximo que pudesse. Imagina você com 32 e um filho de 10 anos? Quanta coisa gostosa você não ia poder compartilhar, viver junto? Acho que o passar do tempo torna o abismo entre as gerações cada vez maior, o que dificulta essa aproximação entre pais e filhos. Em tempo, é só uma opinião pessoal. Não tenho filho, então não tenho muita voz nisso e posso estar redondamente enganado.
Ela viveu o meu sonho, mas tudo deu radicalmente errado. Hoje eu entendo como deve ser problemático casar cedo. Eu casei com 26, o que muita gente já chamaria de cedo hoje em dia. Mas caralho, casar aos 20? Eu precisaria ter certeza absoluta de que estava com uma ótima pessoa ao meu lado, mas é difícil a gente chegar a essa conclusão tão cedo. A maioria das garotas com quem saí entre meus 18~22 anos jamais estariam na minha lista de possíveis esposas hoje em dia. Algumas são minhas amigas até hoje, mas a grande maioria ganhou pensamentos e posições que vão contra quase tudo que eu acredito.
Tentei imaginar a vida dela agora. 32 anos, dois filhos, divorciada, sem faculdade e depois de largar um emprego público, morando na casa dos pais. Os posts e fotos dela no Facebook tem um quê de agridoce. Parece haver um amor incondicional pelos filhos e pelo desenvolvimento deles. Mas ao mesmo tempo parece haver uma triste por não ter aproveitado a vida. Encontrei até um post antigo em que ela nunca tinha andado de avião e sonhava em conhecer a Europa, postava fotos dos lugares que gostaria de viajar, lia livros sobre eles.
Eu sei que isso pode soar paternalista, mas tudo isso me pesava muito o coração. Me dava vontade de ir lá, de mudar a vida dela, de levá-la para Paris, Roma, Praga, Porto, as poucas cidades que visitei nas vezes em que fui para lá. Me dá vontade de correr para encontrá-la, abraçar, ficar com ela, conversar, qualquer merda.
Mas aí eu caio na realidade. Cá estou eu, casado, relativamente estabelecido, vivendo super de boa até sexta-feira. E se eu puxar uma conversa no Facebook para encontrá-la, chamar para um café pelos velhos tempos e falar que fiquei sem jeito de puxar papo com ela quando a vi na praça sexta-feira? O que eu vou dizer?
Depois de explicar porque saí do curso daquele jeito, 12 anos atrás, vou falar que era completamente apaixonado por era e que estava me sentindo feito um adolescente agora? Será que não vou adicionar mais um arrependimento para a lista dela, partindo do princípio que ela talvez também sentisse algo por mim à época? E se não sentia, de que isso serviria?
E não sei as consequências que vê-la pessoalmente podem ter. Sim, ela parece bem mais velha e o tempo não foi bom com ela. Mas eu ainda a acho linda e sinto um aperto no coração idiota toda vez que olho para as fotos dela no Facebook. Eu tenho medo de aparecer, me mostrar como algum exemplo da felicidade e bom senso (sim, já escutei de amigos meus que tenho a vida "perfeita demais" por conta do meu bom senso em geral, apesar de eu achar que tenho uma vida ok, só pautada pelo "pensar antes de fazer") que apenas acentue as más escolhas dela. Eu tenho medo de não aguentar e fazer merda, de estragar um casamento que vai bem para caralho.
Ela está aqui, a um clique de distância, e não sei o que fazer. Nem se devo fazer alguma coisa.
TL/DR: achei a menina no Facebook depois de chutar dezenas de sobrenomes diferentes. Ela está divorciada, largou um emprego público e parece estar numa fossa fodida. Eu não sei se devo fazer alguma coisa ou deixar esse feeling morrer e continuar vivendo deixando esse fuck up de ter sumido da vida da menina para trás.
submitted by tombombadil_uk to brasil [link] [comments]


Atriz namora homem 19 anos mais velho que ela! COMO É NAMORAR UM CARA MAIS VELHO? COMO É NAMORAR AOS 14 ANOS? NAMORAR ALGUÉM MAIS VELHO?  ft. Ellora Haonne NAMORO COM UM HOMEM 20 ANOS MAIS VELHO! E AGORA ... PEGAR CARAS MAIS VELHOS, ACEITAÇÃO E + #ASKLOLLY TER UM RELACIONAMENTO COM UMA PESSOA MAIS VELHA DÁ CERTO ... NAMORAR ALGUÉM MAIS VELHO VALE A PENA? Pedido de namoro na escola Alex & Lorrane The Love School (90): diferença de idade

Aluna namora homem 30 anos mais velho do que ela – Igreja ...

  1. Atriz namora homem 19 anos mais velho que ela!
  2. COMO É NAMORAR UM CARA MAIS VELHO?
  3. COMO É NAMORAR AOS 14 ANOS?
  4. NAMORAR ALGUÉM MAIS VELHO? ft. Ellora Haonne
  5. NAMORO COM UM HOMEM 20 ANOS MAIS VELHO! E AGORA ...
  6. PEGAR CARAS MAIS VELHOS, ACEITAÇÃO E + #ASKLOLLY
  7. TER UM RELACIONAMENTO COM UMA PESSOA MAIS VELHA DÁ CERTO ...
  8. NAMORAR ALGUÉM MAIS VELHO VALE A PENA?
  9. Pedido de namoro na escola Alex & Lorrane
  10. The Love School (90): diferença de idade

. Escola do Amor - The Love School 596,285 views 55:12 Mulheres que preferem homens mais novos no Maria Paiva Entrevista - JustTV - 05/07/11 - Duration: 31:20. No vídeo de hoje como foi namorar aos 14 anos, como foi a reação da minha mãe e se eu me arrependo de ter namorado tão nova! #namoro #namoronaadolescência Me... Nesse Ask Lolly, decidi falar um pouco sobre questões da adolescência, como foi a primeira vez antes de se aceitar, se relacionar com pessoas mais velhas e outras coisas! // REDES SOCIAIS ... Olá meninas! Hoje viemos falar sobre preconceito. Esperamos que gostem! Beijnhos BLOG: http://corbyssimas.blogspot.pt FACEBOOK: https://www.facebook.com/corb... Tentei fazer uma surpresa, nunca imaginei em fazer isso pra alguém, mais você merece amor s2 ... Pedido de namoro na escola lindo -Nay e Luciano ... Pedido de namoro mais lindo do mundo ... Muitas pessoas vivem uma “neura”: namorar uma pessoa mais velha dá certo? O namoro é um tempo fantástico de conhecimento da pessoa com quem namoramos. Buscam... Neste vídeo eu e a Ellora Haonne respondemos sobre namorar alguém mais velho, machismo no trabalho e como chegar no crush sendo tímida. As respostas sobre tu... Oi gente, hoje vim contar um pouco do mais sobre meu relacionamento com um homem 6 anos mais velho que eu. Contei um pouco do que eu sinto, das diferenças e tudo mais. Já participam do grupo do ... Olá eu sou a Quezia Figueiredo, sou psicóloga e hipnóloga e uma seguidora me enviou uma pergunta sobre um relacionamento entre um homem mais velho e uma mulher mais nova, nesse vídeo falarei 3 ...